Seu carro pode ser feito de Curauá

Por André Delacerda

Curaua

Curauá, um nome exótico, não se trata de nenhum chá, nome de tribo indígena ou até mesmo uma planta em extinção. Mais sim, uma solução encontrada pela indústria automobilística junto a natureza.

O Curauá é uma uma planta nativa da Amazônia, mais precisamente do Estado do Pará. Essa espécie da flora do norte do Brasil pertencente à família das bromeliáceas e assemelha-se a um ananás, porém sem espinhos. O destaque desta planta, está a cargo da sua fibra que possui grande resistência, além de ser cerca de dez vezes mais barata do que a fibra de vidro, porém não tão barata como a fibra sintética.

A fribra do Curauá também é biodegradável, tornando os produtos que a levam na composição menos agressivos ao meio ambiente.

Mas o que realmente o Curauá tem haver com a indústria automotiva brasileira? Bem, cerca de nove entre quatro modelos de carros no Brasil tem partes feitas de fibra do Curauá. Isso mesmo, peças de carro feitas com Curauá. Além de ter uma resistência superior como comentado, as fibras estratidas desta planta também não possui cheiro e tem um outro ponto a mais, que é a leveza em relação a certos produtos sinteticos.  

A história da relação do Curauá com a indústria automotiva mundial começou há cerca de 10 anos atrás, quando o executivo da montadora alemã Wolkswagem, a época, fez uma exigência aos fornecedores que estavam engajados do projeto do Fox. Ele queria que componentes e materiais utilizados na fabricação do mesmo fossem o mais ecologicamente correto possivel. 1

Uma curiosidade é que centenas de séculos antes do Curauá ir parar na composição das peças de carros, este já era utilizado por sua resistência por indíos que habitavam o norte do Brasil, que usavam a fibra na construção de embarcações e utensílios domésticos.

A Volkswagem em uma sábia e oportuna ação, comprou a idéia de engenheiros da filial brasileira da montadora alemã e aceitou o risco de utilizar a fibra, que jamais fora utilizada além das fronteiras brasileiras, e que só servia aos indígenas. Assim, começa a relação da Wolks com a fibra do Curauá. A montadora se engajou no projeto, investiu em pesquisa, apoiou um fornecedor – Pematec – que possui unidades cultivares e de produção da fibra no norte do país e também está contribuindo com este projeto que é de sustentabilidade, já que o cultivo do Curauá envolve cerca de 300 famílias na região de Santarém no Estado do Pará.

tecnologia Os engenheiros da Volkswagem passaram cerca de três anos até chegarem a um ponto certo da textura das fibras do Curauá. E hoje, mais de um terços dos veículos produzidos pela Wolks no Brasil possuem componentes fabricados com a fibra do Curauá.

Essa é uma bela história que envolve a sabedoria dos povos da floresta, o engajamento de visionários engenheiros brasileiros, o senso de inovação de uma montadora alemã e as maõs de centenas de famílias brasileiras, que atuam junto ao complexo fabril na produção de quilometros de fibras que transformam milhares de carros em veículos com uma composição bem verde.  

Disponibilizamos um vídeo que mostra as características da planta, suas peculiaridades, como é cultivada no Estado do Pará e a transformação da planta em fibra propriamente dita.

 

Fotos: Curauá – APKA / Fox – Volkswagem Brasil/ Produção – Pematec

Uma resposta para “Seu carro pode ser feito de Curauá

  1. Puxa, eu já amava o meu Golzinho! Agora, tenho muito orgulho dele! Uma atitude mais que acertada da Volkswagen!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s